Agências Digitais e a Crise do Coronavírus

Coronavírus e Crise: Impacto nas Agências de Marketing Digital

Uma das palavras que temos mais escutado ultimamente é “crise”. Isso porque, por conta do coronavírus, tivemos um movimento que levou muitas pessoas e empresas a optarem pela quarentena, o que está impactando muitos negócios. A Mestre não aderiu de imediato, mas um pouco depois, e vou contar como tem sido a experiência.

Quais medidas tomar como dono de agência digital?

Apesar de que cada agência conta com suas particularidades, quero compartilhar com você a minha visão de empresário, de dono de uma agência digital, para contar quais medidas estamos tomando e como elas têm sido aplicadas.

Assim, você pode avaliar se elas funcionam para o seu negócios.

1 . Aplicar o modelo de trabalho home office

Sempre tive um apego pelo modelo presencial porque gosto de ver pessoas e de ter contato com elas diariamente. Mas, com tudo o que tem acontecido, tivemos que optar por fazer home office, ou seja, liberar para que as equipes trabalhem de casa.

Preciso dizer que me surpreendi e tem dado muito certo essa maneira de trabalho. Acredito que tudo tem funcionado bem por conta de alguns fatores:

  • utilizamos um software para gerenciar o tempo e as tarefas dos colaboradores — nós optamos pelo Runrun.it, mas você pode escolher o que preferir, contanto que faça a mensuração;
  • os líderes da agência estão fazendo reuniões diárias com seus times — o que está ajudando bastante a analisar o que foi feito e quais as prioridades para dar continuidade;
  • estamos utilizando o G Suite para gerenciar e produzir nossas tarefas — é um bom amparo em relação aos entregáveis e gerenciamento;
  • fazemos a comunicação entre os times e clientes por meio do Skype e do Google Hangouts Meet — não há a necessidade de fazermos um upgrade da nossa conta do Zoom e gastar mais em dólar neste período, seria um gasto irresponsável.

2. Dar clareza ao time sobre o momento atual

Dentro deste período de incertezas, existem sim algumas certezas e você pode dar clareza ao seu time sobre isso.

Você não tem como prometer que não vai haver uma crise econômica ou mesmo quando tudo isso vai passar. Mas existem alguns pontos que você pode se posicionar.

Um exemplo disso é sobre o período de home office nos próximos dias ou semanas. Você pode falar sobre até quando pretende estender essa modalidade de trabalho para que as pessoas possam se sentir seguras e para que se organizarem. Também é possível falar que, juntos, vamos continuar entregando o melhor aos nossos clientes, fazendo o mesmo trabalho com excelência.

As pessoas sabem que você não pode controlar o mercado, mas elas esperam que você possa controlar o que é controlável.

3. Entender a perda de clientes

Existem dois tipos de clientes que eu entendo que vão dar churning, atrasar pagamento ou pedir pausa, ou seja, causar um “problema” ou “incidente” para sua agência:

  • quem tem problema de produto — empresas que não podem abrir ou estão sofrendo diretamente por conta dos seus produtos. Por exemplo: hotéis, empresas de turismo, negócios de venda de passagem, etc;
  • quem tem problema de medo do mercado — empresas que continuam conseguindo vender porque não têm problema de produto, mas, por conta de ver o que está acontecendo em outros segmentos, querem “desacelerar” os investimentos por medo do que virá.

Como agir com os clientes que têm problema de produto?

Para os clientes que têm problema de produto, você pode ser compreensivo e tentar negociar a melhor solução, como uma pausa de contrato, por exemplo.

Também é possível fazer aditivos e esticar alguns prazos — contratos de 12 meses, podem virar de 18 meses. Ao invés de diminuir o escopo como uma primeira ideia, você precisa entender qual é o LTV do seu cliente (Life Time Value).

Vamos supor que seu cliente iria pagar R$ 50 mil reais em um contrato de 12 meses, nesse caso, você pode esticar o prazo para que ele invista o mesmo valor em um tempo maior. Essa é a grande sacada para que você não seja tão impactado. Só depois de tentar essa primeira oferta é que você deve pensar em baixar escopo.

Alguns donos de agências estão isentando o pagamento do cliente ou reduzindo em 50%. Porém, nesse caso a agência está assumindo o prejuízo do cliente, o que não é correto. Porque, por mais que sua agência digital tenha caixa agora para dar esse tipo de suporte para o cliente, será que no futuro ela não será impactada? Será que daqui alguns meses você não vai passar por problemas para honrar com seus fornecedores e pagar seus funcionários?

Entenda: digamos que  meu custo de agência é R$ 7 mil e que eu tenha perdido R$ 10 mil reais de faturamento mensal por conta de cancelamentos de clientes. Na ponta do lápis, meu lucro era de 3 mil, porque era o que sobrava para o meu caixa. Por isso, em tempos de crise, o que eu tenho que fazer como meta de vendas é motivar meu time a fechar R$ 7 mil em vendas para cobrir os custos operacionais, para que ninguém seja demitido e para que todos os gastos sejam pagos, mantendo a operação.

Isso porque lá na frente, as empresas vão continuar precisando de agências e você poderá crescer seu caixa, com mais lucro. Agora, você só precisa fazer seus custos operacionais serem supridos.

Como agir com os clientes que estão com medo da crise?

Para os clientes que estão com medo, o seu papel como agência digital é mostrar que esse não é o momento de pausar projetos, se existe a possibilidade de vender mais. É preciso ter atenção e responsabilidade, tanto para continuar com as estratégias, quanto para entender que, para muitos casos, pode ser pior parar as operações de marketing, o que pode render um prejuízo em médio e longo prazo.

Se o produto da empresa não for atingido pela crise, se não estiver sendo realmente impactado, não existem motivos legais para fazer cancelamentos. Você pode consultar o seu jurídico e entender que, quando o trabalho está evoluindo e o negócio do cliente não está decaindo, não há objeções claras para que haja um cancelamento.

Mas claro que cada caso deve ser analisado de forma particular, então minha sugestão é que você converse com o seu jurídico e receba todas as orientações necessárias.

4. Conscientizar a equipe

Imagine que o seu caixa é uma represa e que estamos passando pela crise hídrica. Sabemos que em algum momento vai chover, mas estamos em um momento de escassez. Nesse caso, você precisa lembrar sua equipe de não deixar a torneira aberta. O que isso significa? Que é preciso conscientizar e racionar.

No nosso contexto de agência digital, não podemos contratar ferramentas que não sejam tão necessárias agora, também podemos diminuir custos, buscar desconto com alguns softwares, entre outras formas de tornar a conscientização em ações práticas.

5. Saber quais são todas as suas opções

Aproveite para colocar todas as suas opções na mesa. Quais são suas opções financeiras? O que você pode fazer se precisar de dinheiro?

Por exemplo, você pode diminuir seu pró-labore, vender o carro da empresa, conferir com o gerente do banco qual sua linha de crédito disponível, etc.

É importante listar agora todas as suas opções para que, se precisar agir com urgência, você ganhe tempo. É aquela história de utilizar o colete salva-vidas mesmo que você não saiba se vai cair no mar.

A opção da MP (Medida Provisória) que permite a redução de carga horária dos colaboradores, se houver a real necessidade, pode ser válida. Ao invés de demitir a pessoa, você pode optar por essa medida para não só fazer o que sua agência precisa, mas também não desamparar os profissionais. Lembre-se de que você tem que avaliar e conhecer suas opções.

O que fazer com base na MP nº 936?

A Medida Provisória nº 936 foi instituída em 1º de abril de 2020 e faz parte do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda.

O mais indicado é que você leia com atenção e conte com a ajuda do seu advogado(a) para compreender cada tópico.

Como já citei neste artigo, o melhor é que você saiba todas as opções para agir. Por mais que não precise fazer algo agora, é importante ter uma visão ampla para “quando” ou “se” precisar, saber exatamente o que fazer. Informe-se.

O que você não pode deixar de fazer agora em relação à crise?

Para você não esquecer, aqui vai um checklist:

  • dar clareza para a equipe;
  • converse com calma com os clientes;
  • observe o mercado exterior para entender quais impactos que outros países já sofreram;
  • entender como é o jogo do mercado e o movimento econômico;
  • saber quais são suas opções para lidar com tudo isso.

O principal que você precisa saber é que ninguém tem uma carta de navegação para este “mar incerto”, ou seja, para saber lidar com este período atual. Estamos todos aprendendo e vamos conseguir passar por isso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 comentários em “Coronavírus e Crise: Impacto nas Agências de Marketing Digital

  • Esses dias estão sendo de muita reflexão sobre prazos, necessidades e o que é supérfluo. Alguns de nossos clientes são dos setores mais afetados (alimentação e viagens), e está sendo um desafio continuar nesse período. Oferecemos um pequeno desconto aos clientes no mês de abril, para evitar ao máximo o cancelamento.

  • Sou eugência, até agora apenas um dos mais de 20 clientes procurou para dar uma pausa. O que tenho com eles é um contrato de design, como é um trabalho secundário não consegui contornar. A única possibilidade que eu havia pensado e propus pra ele é continuar atuando, já que ele é 100% digital, e ele parcelar os custos do período de pandemia após isso tudo passar. Mas de fato assumir o risco do cliente é fora de cogitação.

    Vamos superar isso tudo, se Deus quiser.

SAIBA COMO FAZER SUA AGÊNCIA DIGITAL VENDER MAIS
DIGITE SEU E-MAIL E BAIXE GRATUITAMENTE

CURSO AGÊNCIA10X:
VAGAS ABERTAS
POR TEMPO LIMITADO

Como anda a gestão e as vendas da sua agência digital? Você quer seguir do jeito atual e ficar estagnado/a ou prefere atingir um faturamento mais alto, com lucro de verdade? 

Aproveite que novas vagas foram liberadas para o Agência10x e conheça mais sobre esse curso que vai te levar a outro nível.